Blog do Erich Beting

Busca

18/12/2009

O novo rei do marketing?

E eis que Cesar Cielo é o homem mais rápido do mundo, provavelmente por muitos e muitos anos. Beneficiado pelo regulamento que liberou os supermaiôs na natação, o nadador brasileiro será por algum tempo o detentor do recorde mundial dos 50m e dos 100m, as duas provas mais velozes da natação mundial.

Como já falamos aqui ontem, por trás da quebra da marca de Frederick Bousquet, estava a estratégia marketeira de manter Cielo como dono dos dois recordes. E, após conseguir o recorde, Cesão mostrou que está afiado em matéria de marketing. Na entrevista ao Sportv, ele não pensou duas vezes em explicar a "estratégia" da conquista:

"Eu fui dormir às 23 horas, acordei às três e meia da manhã e tomei uma TNT para acordar de vez. Às cinco da manhã eu estava no computador ainda".

É isso mesmo. Cielo foi rápido em citar o seu patrocinador na entrevista ao vivo para a TV, algo que não permite cortes nem ajustes. Para o patrocinador, é a típica ação que vale todo o investimento feito na contratação do atleta. Mas, para Cielo, fica aquele sinal de alerta.

Se, a cada oportunidade que surgir, Cielo tentar embutir a marca de um patrocinador, rapidamente a mídia vai se voltar contra suas entrevistas. Não é preconceito, muito menos aversão à propaganda, mas não tem sentido como notícia falar do patrocínio.

Cielo tem excelente chance de se tornar o novo rei do marketing no esporte brasileiro. Mas tem de tomar cuidado para não ficar na tênue linha que separa o bom endosso de um produto de um merchandising barato, daqueles que ninguém mais aguenta ouvir. Porque, se contasse apenas o que ele faz dentro das piscinas, seu talento é inquestionável.

Por Erich Beting às 16h02

17/12/2009

A caça ao recorde de Cesar Cielo

Assim como Usain Bolt e Yelena Isinbayeva, o nadador brasileiro Cesar Cielo definiu uma interessante estratégia para ganhar ainda mais mídia e, além disso, deixar definitivamente seu nome na história da natação mundial.

Cielo quer, de todas as formas, faturar o recorde dos 50m livre na próxima sexta-feira, na final do Campeonato Brasileiro Sênior. O nadador sabe que uma quebra de recorde agora deverá significar, por muitos anos, a melhor marca da natação mundial (feito que Cielo já detém nos 100m).

Afinal, com o fim dos supermaiôs a partir de 2010, a tendência é que os nadadores não consigam manter tempos tão baixos nos próximos anos. Como não há previsão de mais provas oficiais até o final do ano, um recorde agora provavelmente significaria o recorde por décadas.

O marketing da vitória é, como já falamos várias vezes por aqui, uma das mais eficientes ferramentas para fazer com que mídia e, consequentemente, patrocinadores, tenham interesse por um atleta. Cielo sabe disso. E por isso mesmo ficou tão desapontado de não ter alcançado nesta quinta-feira a melhor marca do mundo.

Como será o amanhã?

Por Erich Beting às 19h44

16/12/2009

Adidas pega carona com arrancada do Flu

"Está provado: Impossible is Nothing".

Essa foi a sacada da Adidas em criar uma camisa para celebrar a arrancada que livrou o Fluminense da Série B do Campeonato Brasileiro. A empresa soube aproveitar o momento e se apropriar do slogan que carrega para valorizar a parceria com o time carioca.

Iniciativa bacana, especialmente para encher a bola do Flu, que constantemente reclama de haver uma certa preferência da fabricante pelo Palmeiras, clube em que as vendas são mais expressivas.

Abaixo, a foto de divulgação do modelo que já está sendo vendido.

Por Erich Beting às 18h32

Virgin na F1: ato falho ou novos tempos?

E eis que, no Jornal Nacional desta terça-feira, dia 15 de dezembro, William Bonner anuncia:

"O brasileiro Lucas di Grassi foi apresentado hoje pela equipe Virgin, na Inglaterra".

Será que a Globo finalmente vai deixar de inventar siglas para as equipes de Fórmula 1 e passar a adotar o nome dos patrocinadores ou foi apenas um ato falho? Afinal, a Virgin, para quem não sabe, é uma empresa que atua desde o setor da aviação comercial até o de loja para vender CDs e DVDs. Seu dono, o bilionário Richard Branson, investe em diferentes ramos, mas não o do automobilismo.

Até hoje, a Virgin não tem atuação direta no Brasil. Pode ser por isso que a Globo não vê "publicidade gratuita" nesse caso. Mas prefiro ser otimista. Pelo menos o registro histórico foi feito. Para quem quiser ver o vídeo, é só clicar no link.

Por Erich Beting às 00h31

15/12/2009

Coritiba tenta resgatar o bom torcedor

O Coritiba apresentou nesta terça-feira uma campanha para trazer para si o "bom" torcedor. Com o título "Porque EU amo ser CORITIBA", a campanha é composta por três filmes e materiais gráficos, que tentam aproximar o torcedor de bem do clube após o vexame na última rodada do Campeonato Brasileiro.

É um passo importante para resgatar a memória do clube, campeão brasileiro de 1985 e que foi pisoteado e esmagado pelos próprios torcedores neste final de celebração do primeiro centenário. É, também, uma mostra de que os gestores não podem se acomodar diante da barbárie de torcedores que não representam a "maioria", ou muito menos "a" torcida do Coxa.

Nessas horas fica claro como o marketing, quando bem usado, pode ser um importante aliado do clube, especialmente naquilo que diz respeito à boa iniciativa. Marketing não serve apenas para colocar dinheiro no caixa, mas também para preservar e valorizar a imagem de uma instituição. O problema é que, nos últimos anos, "fazer marketing" geralmente é confundido com algo vago, sem trazer retorno algum para a instituição, para o torcedor, para o esporte.

Marketeiro é quase um palavrão. Mas o bom torcedor precisa do bom marketing. Do contrário, o futuro é o fim do público no esporte.

 

Por Erich Beting às 17h01

14/12/2009

Com Tcheco, Corinthians "esconde" patrocinador

Tcheco acabou de ser apresentado como novo reforço do Corinthians. Sem a pompa de Ronaldo mais ou menos na mesma época há um ano, o provável novo camisa 10 do Corinthians posou para fotos com um uniforme "liso" do Timão (veja abaixo a foto).

É uma mostra de que o clube "aprendeu" com os próprios erros de 2008. Mesmo com o anúncio do fim do acordo com a Medial, Ronaldo usou a camisa com a marca do patrocinador na sua apresentação. A partir daí, o antigo parceiro teve um aumento brutal de exposição, sem rentabilizar nada a mais para o clube. Sim, o contrato ainda estava em vigência, mas poderia-se pensar numa alternativa.

Como agora, com Tcheco. A camisa é uma linha retrô.

Em janeiro, o Corinthians provavelmente ainda estará no mercado em busca de um patrocinador. O clube quer aumentar o recorde de R$ 18 milhões em 10 meses da Batavo. Considera a ida para a Copa Santander Libertadores como grande trunfo para isso, ainda mais com o fato de 2010 ser o ano do primeiro centenário alvinegro.

O mercado está mais aquecido do que em janeiro de 2009, não há mais temor de que Ronaldo não gere exposição da marca, o centenário é outro atrativo.

E o Timão começa bem, mostrando uma camisa à disposição do patrocinador...

                              Daniel Augusto Jr/Foto Arena/AE
Tcheco, Roberto Carlos e Iarley são os principais reforços do Corinthians para o ano que vem

Por Erich Beting às 18h33

Sobre o autor

Erich Beting passou pela Folha de S.Paulo, foi repórter especial do diário Lance!, criou em 2005 a Máquina do Esporte, veículo pioneiro na cobertura dos negócios do esporte no Brasil e atua como comentarista do canal BandSports. É consultor editorial da Universidade do Futebol e professor dos cursos de pós-graduação em Gestão e Marketing Esportivo da Universidade Gama Filho, da Faculdade Trevisan e da Universidade Anhembi-Morumbi.

Sobre o blog

Erich Beting escreve sobre negócios do esporte e analisa o noticiário do ponto de vista econômico, do marketing e da gestão esportiva.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.